22 fevereiro 2011

O Que É uma Contingência ?





Behaviorista fala tanto de contingência, né?


É contingência pra cá, contingência pra lá... Mas o que de fato é isso?


Vejamos algumas definições:


1) No dicionário, uma coisa é contingente quanto é incerta. Sabe, tudo que depende...


2) Na Filosofia, a contingência é algo que pode ser ou não ser. Ou melhor, ela pode ocorrer, mas não necessariamente. Ex: "A indução 'Sempre haverá um outro dia' presume a contingência do sol se levantar amanhã".


3) Em Lógica, uma contingência é uma proposição cuja validade varia conforme de outros termos. Isto é, cuja verdade depende de circunstâncias, pois não é sempre verdadeira e nem sempre falsa: isso depende. 


Ex1: "Está chovendo lá fora" pode ser verdadeira ou falsa. Mesmo que eu olhe para fora da janela e esteja sol, pode estar chovendo em outra cidade (o que também é "Lá fora").



Ex2: "Se chover agora vou me molhar". Essa frase é uma contingência porque sua validade depende de outros termos lógicos. Se chover agora posso não me molhar...

a) ... se eu estiver de guarda-chuva.

b) ... se for para debaixo de uma árvore.

c) ... se eu entrar na casa.

etc

Uma contingência, portanto, pode ser qualquer relação expressa da seguinte forma:  "Se (antecedente) então (consequente)"


OBS: Compare esse item 4 ao modelo de contingência de 3 termos.


4) E, finalmente, em Análise do Comportamento uma contingência é uma relação que existe entre termos determinantes do comportamento. Esses termos formam a lógica de como ele funciona. 


OBS: Clique aqui para ver como é o modelo analítico-comportamental de contingência de 6 termos.


O conceito de contingências (de reforçamento) é tão importante na Análise do Comportamento (diria eu que é o mais basal de todos!) que podemos dizer que trata-se do próprio escopo dessa disciplina.


É por isso que dizemos que a Análise do Comportamento é contextualista: o comportamento sempre será entendido levando-se em conta as variáveis do contexto organismo-ambiente. Variáveis essas que se relacionam contingencialmente.




5) Para fechar, penso que é importante dizer uma coisa que contingência não é, em Análise do Comportamento: sinônimo de "fatores externos". Isso porque uma contingência pode muito bem ser um vínculo entre eventos que ocorrem dentro do corpo de alguém para com eventos fora do corpo. Ex: "Ana beijou José e José sentiu seu coração disparar". Nesse caso, a contingência não é algo externo e nem interno: é a relação entre ambos.


Portanto, analisar as contingências também implica em levar em conta as emoções e tudo mais que faz parte do domínio da "subjetividade".



Nenhum comentário: