01 abril 2011

Mentira - Como detectar ?





Hoje é 1.o de Abril, o Dia da Mentira.

Achei uma oportunidade perfeita para falar desse assunto, baseado na leitura de uma dissertação de mestrado em Análise do Comportamento sobre o mentir que li recentemente.





Como entender o comportamento de mentir? E, mais interessante ainda, como saber quando alguém está mentindo ?


Um grande nome sobre esse assunto é Paul Ekman (que talvez seja o mais influente psicólogo vivo hoje). Ele diz que mentir é enganar alguém com intenção, e que há dois tipos de mentiras:


a) falsear uma declaração e 


b) omitir fatos.


E o Skinner, hein? Em "Comportamento Verbal" ele diz que mentira é quando "uma resposta é emitida sobre circunstâncias que normalmente controlam uma resposta incompatível" (Esse operante verbal seria então um tato distorcido).


 Ocorre que podemos emitir tatos distorcidos "sem querer", p.e. falando algo errado que acreditamos ser verdade. O mentir está no tato distorcido com uma função específica no contexto: obter reforço e/ou evitar punições. 


Ou seja, mentimos para "nos dar bem" em algo. A chave da compreensão do mentir está nas motivações e consequências sociais.


Mentimos para privar alguém de informações (enganar) e
com isso obter algum efeito reforçador (nossa motivação)




Ok, mas é possível detectar mentiras com precisão?


Caso sim, como fazer?


Os métodos fisiológicos, como o polígrafo, podem falhar feio, porque eles detectam pertubações emocionais (que podem ser camufladas ou mal compreendidas). 


Paul Ekman defende que a análise de respostas motoras (atitude corporal, gestos e, principalmente, expressões faciais) e das verbais (em especial, as vocais. Ex: tons de voz, volume, pausas, etc) podem dar boas pistas sobre o mentir. Nenhum desses sinais é, por si mesmo, sinal de mentira. Mas no contexto, caso persistam vários deles, o mentir é quase certo.

São possíveis sinais da mentira:

- pausas abruptas na fala (o que vem em seguida pode ser mentira)

- hesitações (gagueira tem a ver)

- contradições, erros menores (questões lógicas, falhas na "memória")

- mudar de posição (indica ansiedade e desconforto, possivelmente pelo que está sendo dito)

- mexer muito mãos ou pés (outro sinal de ansiedade)

- tocar em si mesmo (mais ansiedade, e também um reflexo associado a proteger-se)

- desviar o olhar muito (medo)

- fixar demais o olhar no interlocutor (atentar para ver se a mentira está colando)

- etc



Clique aqui e veja uma análise que fiz da fala de Guilherme de Pádua, assassino de Daniele Pérez.




Clique aqui e veja outra análise, de Antonio Meneghetti, fundador da Ontopsicologia, falando sobre sua obra.





E como se tornar um bom detector de mentiras?

Antes de mais nada, desenvolvendo habilidades de observação do comportamento e de raciocínio lógico. Conhecer as emoções humanas e como elas se expressam de forma motora e vocal é fundamental, também, pois o mentir quase sempre acompanha pertubações emocionais (A não ser, claro, no caso de mentirosos profissionais, como políticos e jogadores de poker).

IMPORTANTE: Não há sinais universais de mentira. Há apenas análises funcionais muito bem feitas de cada mentir.

Algumas pessoas são detectores de mentira "naturais". Em geral elas tiveram um histórico aversivo onde o detectar emoções foi muito reforçado diferencialmente e regularmente. Algumas profissões, por sua vez, demandam aprender a mentir, como a de vendedor. Enquanto outras demandam adquirir habilidades de leitura emocional que podem tornar essas pessoas ótimos detectores de mentira (como a de cartomante).

Sem contato visual com a pessoa
fica mais difícil saber se sua fala
é mentira ou não (muitas variáveis
motoras se perdem, ficando apenas as verbais)


A boa notícia é que é possível a qualquer um aprender a detectar mentiras, bastando para isso criar certas contingências de treino adequadas, que garantam reforço imediato e diferencial nos acertos (Ex: pedir para um amigo contar histórias; você tenta identificar quais são verdade e quais são mentira e depois ele revela onde você acertou, reforçando diferencialmente, assim, sua habilidade).

Da mesma forma, o arranjo de contingências ajuda a detectar mentiras melhor. Por exemplo, quando postos em pressão extra, os mentirosos tendem a se trair. Ex: Se você acha que seu namorado está mentindo quando diz que te ama, peça para ele falar isso na frente da ex.

Em síntese: mentir é um fato social que requer, especialmente dos Analistas do Comportamento, habilidades para lidar com.

Se você vai trabalhar com pessoas, precisa ser honesto, mas precisa também estar preparado para ler emoções, motivações alheias (O que acaba levando a detecção de mentiras).

Como diria  o Dr. House: "Pessoas mentem". Isso implica que lidar com pessoas é, dentre outras coisas, aprender a lidar com mentiras.



Um comentário:

Paula Souza disse...

Muito interessante...e qual seria a melhor forma de lidar com mentiras de amigos ou parentes?